Fundação Fernando Leite Couto leva o espectáculo de teatro “Chovem Amores na rua de matador” a Portugal

Fundação Fernando Leite Couto leva o espectáculo de teatro “Chovem Amores na rua de matador” a Portugal

- in Notícias, Teatro

O espectáculo ‘CHOVEM AMORES NA RUA DO MATADOR’, que envolve criadores de Angola, Moçambique e Portugal, será apresentado, em Julho, 12 municípios de Portugal.

Este espectáculo é uma co-produção da Fundação Fernando Leite Couto e da Universidade Eduardo Mondlane, e foi generosamente acolhido, aquando da sua estreia em Maputo, pelo público e pela imprensa especializada, tendo o Savana – semanário de referência em Moçambique – considerado a sua criação como “um novo paradigma para a produção teatral em Moçambique”; e “uma referência obrigatória na futura criação teatral moçambicana”.

O seu protagonista masculino – Horácio Guiamba, que interpreta Baltazar Fortuna – foi celebrado pela crítica como “o melhor actor da sua geração”. 

No texto homónimo que originou a criação teatral, Mia Couto e José Eduardo Agualusa, reflectem sobre o conflito entre um Moçambique periurbano, que hesita entre um lastro de tradições e práticas ancestrais cristalizadas nas mentalidades masculinas dominantes; e um país novo, de demografia galopante, prenhe de jovens que, a cada dia, se revêem menos nas estruturas culturais herdadas e nas práticas sociais que elas impõem.

O conflito entre Baltazar Fortuna e as suas mulheres – Mariana Chubichuba, Judite Malimali e Ermelinda Feitinha – leva, inevitavelmente, à morte de um desequilíbrio social onde o lugar que cabe às mulheres e o dos homens é vigorosamente questionado e resolvido em cada opção, em cada atitude, em cada gesto do presente.

Os ecos da sua estreia, não deixaram de despertar curiosidade em Portugal e despertaram o desejo – em várias companhias de teatro e alguns municípios, de partilharem o espectáculo com os seus públicos.

É, pois, graças ao apoio e à hospitalidade das companhias de teatro ACTA – A Companhia de Teatro do Algarve, do Teatro Baal, de Serpa, do Teatro das Beiras, da Covilhã, do Teatro das Caldas, das Caldas da Rainha, do Cendrev – Centro Dramático de Évora, da Escola da Noite, de Coimbra, que a presença em Portugal se tornou possível.

Igualmente essencial, foi o interesse demonstrado pelos municípios de – Almada, Figueira da Foz, Loulé, Seixal, Setúbal e Viseu. No total, serão realizados em Portugal, entre 2 e 30 de Julho, 20 sessões do espectáculo, na maior digressão realizada por uma companhia moçambicana neste país.

Além do espectáculo realizar-se-ão também, em diversos deste locais, conversas entre os públicos e os autores do texto, Mia Couto e José Eduardo Agualusa.

O calendário detalhado das sessões, bem como outras informações sobre o espectáculo, poderão ser consultados, na próxima semana, no sítio da Fundação Fernando Leite Couto, em: https://www.fflc.org.mz/

Facebook Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *