Arsénio Magul: “Hélio Beatz não revolucionou o Pandza, mas acordou um monstro adormecido”

Arsénio Magul: “Hélio Beatz não revolucionou o Pandza, mas acordou um monstro adormecido”

- in Opinião

Por: Arsénio Magul

Eu sei que o título deste texto vai fazer pessoas zangarem, até mesmo o artista, Hélio Beatz, mas “Anya way”, por mim tudo bem, desde que depois leia com atenção o texto todo.

Faz anos que o pandza estava adormecido, alimentado apenas por poucos artistas que acreditavam e ainda colocam fé no estilo, Mr kuka, DJ Ardiles e Cizer Boss são alguns dos exemplos de artistas que nunca desistiram desse estilo, e fazem-nos vibrar até hoje com estas batidas.

Durante este período, foram surgindo discussões aqui e acolá, sobre as motivações deste sono profundo, os fazedores do estilo acusavam os rappers e estes se defendiam apontando para a decaída do patrocínio pelas operadoras de telefonia móvel. Facto é que para falar a verdade, até eu penso que os maiores promotores da sabotagem do Pandza/Dzukuta foram os rappers, mas isto é conversa pra outro dia.

Pois bem, entramos em 2021 e com isso, foram surgindo vários artistas talentosos, como o caso do Hélio Beatz, que lançou o álbum “Pandza do futuro”. Um álbum bastante aclamado pela crítica, por se mostrar “revolucionário”, composto por 17 faixas, com destaque para a música “Flow da Town”, que se fez valer, estando na prateleira dos hits de 2021.

O álbum é bastante rico de música Pandza, com colaborações de artistas de renome na praça, e que muito fazem por este estilo. A verdade é que o Hélio Beatz, acordou um monstro adormecido, acreditou num estilo que já estava a ficar para “trás” e provou que é possível fazer os Tik Toks, Instagram contents e até puchar um “way” de verão com a 2M.

O Hélio mostrou à nova geração de produtores e cantores, que o Pandza pode ser revolucionado. O álbum “Pandza do futuro” é um wake up para a nossa identidade musical, um desafio a todos os artistas para uma nova sonoridade, uma possibilidade para nos fazermos ouvir para além fronteiras.

Assim como o Amapiano da África do Sul ou Afrobeat da Nigéria, o Pandza é um estilo de música, que se bem orientado e investigado pelos artistas nacionais, poderá se tornar viral.

É por isso que digo, o Hélio Beatz não revolucionou o Pandza, mas sim, acordou um monstro adormecido, pois a revolução ainda está por vir.

 

Facebook Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.