Noémia de Sousa e María Remedios del Valle homenageadas no Concurso Literário “Duas Mulheres, Uma Luta”

Noémia de Sousa e María Remedios del Valle homenageadas no Concurso Literário “Duas Mulheres, Uma Luta”

- in Literatura, Notícias

Noémia de Sousa e María Remedios Del Valle

A Associação dos Escritores Moçambicanos, a Vice Versa Ideias com o apoio da Embaixada da Argentina em Maputo e do Ministério do Género, Criança e Acção Social realizam o Concurso Literário “Duas Mulheres, Uma Luta” em homenagem a poetisa moçambicana, Noémia de Sousa, e María Remedios Del Valle, uma afrodescendente considerada a Mãe da Pátria argentina.

De acordo com o comunicado de imprensa enviado ao Moz Entretenimento, esta iniciativa abrange jovens estudantes dos níveis secundário e universitário, dos 15 aos 25 anos de idade, em qualquer parte do território nacional. Através do exemplo inspirador das homenageadas, pretende-se reflectir sobre a necessidade de alcançar uma posição de igualdade para a mulher nas nossas sociedades. O concurso também busca incentivar os jovens a exporem a sua criatividade sobre o importante papel das mulheres.

Cada estudante pode submeter dois poemas até o dia 31 de Outubro de 2021, através do e-mail duasmulheresumaluta@gmail.com. A premiação será feita no dia 25 de novembro de 2021.

Os vinte melhores poemas selecionados serão publicados em livro a ser distribuído pelas bibliotecas moçambicanas. O Concurso Literário Duas Mulheres Uma Luta, tem como presidente do júri a célebre escritora Paulina Chiziane, mulher de referência na literatura não só de Moçambique como de todo o continente africano, igualmente uma inspiração para a juventude moçambicana.

Esperamos que os jovens, especialmente as mulheres, aproveitem este concurso para expressarem toda a sua energia criativa, escrevendo poemas sobre as mulheres da nossa terra e de afrodescendentes que vão ser motivo de orgulho no mundo. Que esta seja uma oportunidade importante para esses jovens que tem sonhos com a literatura”, afirma a escritora, primeira mulher romancista moçambicana.

Por sua vez, Andrés Ventafridda, Encarregado de Negócios da Embaixada da Argentina em Maputo, que apoia a iniciativa, afirma que “o Governo Argentino tem assumido um compromisso na promoção da igualdade de género, dos direitos da mulher, o respeito e a celebração da diversidade das nossas origens étnicas e culturais como nação entre elas, as africanas”. 

O Director Nacional Adjunto do Género, do Ministério do Género, Criança e Acção Social, Sansão Buque, destaca a importância de os concorrentes se inspirarem nos valores de uma sociedade livre da violência de género ao escrever os seus poemas, sendo assim que os jovens através da poesia poderão ser a voz da consciencialização para o fim da violência e o alcance do tratamento igual entre homens e mulheres. 

Notas bibliográficas de Noémia de Sousa e María Remedios del Valle 

Noémia de Sousa nasceu a 20 de setembro de 1926. Foi uma poetisa, tradutora, jornalista e militante política moçambicana. É considerada a “mãe dos poetas moçambicanos”. Em 2001, a Associação dos Escritores Moçambicanos publicou o livro “Sangue Negro”, que reúne a poesia de Noémia de Sousa escrita entre 1949 e 1951. Faleceu a 4 de dezembro de 2002, com 76 anos de idade.

María Remedios Del Valle, nascida em 1766, exerceu trabalhos de enfermagem para ajudar aqueles que defenderam a cidade de Buenos Aires durante a segunda invasão inglesa, em 1807. O seu espírito patriótico fê-la ir mais longe, até ao ponto de pegar em armas. Alistou-se em diferentes batalhas da luta pela independência argentina e em reconhecimento do seu compromisso, disciplina e lealdade, foi nomeada capitã do exército. Morreu em 8 de novembro de 1847 e em sua memória, na data é comemorado o “Dia Nacional dos Afro-Argentinos e da Cultura Afro”, estabelecendo-se como o primeiro reconhecimento legislativo nacional de afrodescendentes.

Facebook Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *