Hirondina Joshua no Festival Internacional de Poesía de Barcelona

Hirondina Joshua no Festival Internacional de Poesía de Barcelona

- in Notícias

A poetisa moçambicana, Hirondina Joshua, toma parte da trigésima sétima edição do Festival Internacional de Poesía de Barcelona, que arrancou no dia 11 e prolonga-se até 18 do corrente mês, em Espanha.

Segundo uma nota enviada à Moz Entretenimento, o evento é um apelo autêntico à diversidade e harmonia na variação, metáfora sobre a necessidade radical de compreensão na diferença. Hirondina é uns dos sete poetas de línguas, idades, culturas e propostas líricas radicalmente diferentes que participam do evento.

Para justificar o convite, formulado no ano passado, a organização do festival aponta que Hirondina Joshua é um dos expoentes da poesia em língua portuguesa e devido aos seus livros e textos disponíveis em antologias e portais vem ganhando espaço e notoriedade.

Para Hirondina participar no festival é a possibilidade de poder interagir com pessoas de lugares onde não se fala português.

“Serei a única que fala português. Tudo vai acontecer em inglês, menos a leitura dos poemas” disse, realçando que o festival abre espaço para expor o seu trabalho, em particular, e da literatura nacional em geral.

Além da poesia, o festival traz uma proposta musical encabeçada por Marina Herlop que, acompanhada pelas coristas Marta Torrella e Helena Ros (Tarta Relena) e com a proposta de indumentária de Rosa Tharrats.

“Será um show de poesia no Palácio da Música com os poetas convidados acompanhado de piano ao vivo”, detalhou Hirondina, acrescentando que alguns poemas dos escritores participantes estarão num livro traduzido em catalão.

Hirondina Joshua é membro da Associação dos Escritores Moçambicanos. Faz parte da nova geração de autores moçambicanos. Integra nos 122 autores (artistas visuais, escritores, poetas) do projecto brasileiro Modernos & Ternos onde “conversa” com a modernidade num registo dos 100 anos da Semana de Arte Moderna. É redactora da revista InComunidade (Portugal) e curadora de colunas literária na Plataforma cultural Mbenga Artes & Reflexões, que visam a divulgação de textos e conversas com escritores de língua portuguesa.

Em 2019, participou da 8ª. edição do Festival Literário de Macau (The Script Road – Macau Literary Festival). Em 2020, participou da 21ª. edição do Festival Literário Correntes d’Escritas em Portugal.

A escritora tem participação em várias antologias nacionais e estrangeiras, com textos publicados em jornais e revistas de Moçambique, Portugal, Angola, Galiza e Brasil. Já publicou nas revistas Caliban, TriploV, Courierdes Afriques e Literatas. Actualmente escreve para as revistas Pazes, Raízes, Por Dentro D’África, Conti Outra (Brazil), Sermos Galiza, Palavra Comum (Galiza), Pessoa, Literatura & Fechadura, Mallarmagens.

Em 2014, recebeu uma menção extraordinária no Prémio Mondialedi oesia Nósside.

Estreou-se no mundo literário com a obra “Os Ângulos da Casa”, prefácio por Mia Couto, 2016. No ano passado lançou “Como Um Levita À Sombra dos Altares”, Prefácio António Cabrita. No mesmo ano, em parceria com Ana Mafalda Leite lança “A Estranheza Fora da Página”. Neste ano brindou os seus leitores com a obra poética “Córtex”.

Além de Hirondina Joshua, participam os outros nomes da poesias, tais como Jordi Pàmias, um dos grandes nomes históricos da poesia catalã; Golan Haji, poeta siro-curdo radicado em Paris, cuja poesia é permeada pela experiência da guerra; Marta Petreu, poetisa e intelectual consagrada no cenário lírico romeno; Ángelo Néstore, poeta de origem málaga-italiana e de expressão queer que questiona os apriorismos das identidades e vira as suas costuras para nos mostrar o interior; Andríi Antonovskyi, poeta ucraniano-catalão de expressão inflamada que fará reverberar os contrafortes e abóbadas do Palau com seu grito irônico e antiguerra, e Alice Oswald, um dos grandes clássicos vivos da poesia inglesa.

 

Facebook Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.