Docente da UEM, Teresa Manjate, esteve na mesa de júri do Prémio Camões 2022, pela segunda vez consecutiva

Docente da UEM, Teresa Manjate, esteve na mesa de júri do Prémio Camões 2022, pela segunda vez consecutiva

- in Literatura, Notícias

Recentemente, o escritor brasileiro, Silviano Santiago, foi anunciado como vencedor da 34.ª edição do Prémio Camões, que contou com a docente e investigadora da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), Teresa Manjate, como parte do júri.

Segundo o Jornal Notícias, esta foi a segunda vez consecutiva que Teresa Manjate fez parte da equipa que decide sobre os vencedores do maior prémio de língua portuguesa, depois da sua participação quando se atribuiu o Prémio Camões à Paulina Chiziane, em 2021.

Para além da Teresa Manjate, o Notícias diz escreve que a o júri da 34.ª edição do Prémio Camões foi constituído pelos professores universitários portugueses, Abel Barros Baptista e Ana Maria Martinho, da Universidade Nova de Lisboa, a são-tomense, Inocência Mata, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, o brasileiro, Jorge Alves de Lima, membro da Academia Paulista de História e da Academia Campinense de Letras, e membro do Conselho Científico do Centro de Memória da Unicamp, que presidiu o júri, Raúl Cesar Gouveia Fernandes, do Departamento de Ciências Sociais e Jurídicas do Centro Universitário FEI, em São Bernardo do Campo.

De referir que, em 2020, quando o “Camões” foi para Vítor Aguiar e Silva, outro destacado docente universitário fez parte do júri, Nataniel Ngomane. Para além disso, é importante realçar que, antes de Paulina Chiziane, outros dois escritores nacionais foram atribuídos o galardão: José Craveirinha (1991) e Mia Couto (2013).

Saiba mais sobre Teresa Manjate

Teresa Manjate é uma investigadora sénior, com a categoria de Professora Auxiliar. É doutorada em Literatura Oral e Tradicional pela Universidade Nova de Lisboa. Faz pesquisa na área de Literaturas Africanas, Literatura Oral, Conhecimento Local, Semiótica e Cinema. É activista e trabalha na protecção dos direitos humanos da criança. Nesta perspectiva, colabora com a SANTAC (Rede da África Austral contra o Tráfico e Abuso de Crianças), com a Terre des Hommes – Alemanha. Já colaborou com a OIM (Organização Internacional das Migrações). Actualmente está a trabalhar na recolha e registo e catalogação de literatura oral em Moçambique, na elaboração de um dicionário de símbolos, a partir do material recolhido; no desenvolvimento de uma pesquisa em torno do cinema moçambicano.

Fonte: CEA (UEM)

Facebook Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *