Coisas que nem os amigos de Ndambi podem explicar

Coisas que nem os amigos de Ndambi podem explicar

- in Opinião

Li e reli a missiva presente nos screenshots, que me mandaram questionando se é verídico que JUMA bazou! Por um momento pensei que fosse um “Boato Patriótico” até que chegasse um do Marcelo Mosse e confirmasse que perdemos um real niqqa, um grande tomateiro. Deve ter descoberto a porta para sair deste país.

“Mas, como assim?!”

São coisas que nem os amigos de Ndambi podem explicar, nem os “Suplentes do Vuma”, a “A postura pública do puxa-saco”, Nyusi preparando a sua vitória, etecetera, teriam explicações de como é que um furúnculo conseguiu abater um tomateiro full de tomates, daqueles nacionais, capazes de fortificar “A máfia do Zimpeto”.

Até os Eme-Pesas e Bê-Cê-Is ficaram sem chão em saber que não mais te devolverão os takos que tanto gostavam de desviar.

“Felizmente, mas infelizmente”, os Chopstick, New Mans, Pê-Ere, Pê-Cê-As, Vahanles, ficam sem um olhar clínico às suas actividades. “São Filipe da Pérola, rogai por nós”.

Nem “A tabela de Nhangumele” explicaria como foi possível um gajo com tomates ceder ao furúnculo, muito menos Doutora Buchili sendo humilde, é que essa cena “É um novo crime que vamos testemunhar amanha”.

Mas, o mais importante para uma certa ala é o legado que aqui deixa, a sua sátira e humor, a sua pontaria aos problemas desse país, sua tortura às palavras. Juma nunca djumou, batia de frente.

Um tomateiro que não esperou o SUSTENTA para sustentar a sua horta. Tanto que hoje é condecorado e lhe colocado o título de herói. A prova disso é a chuva de crônicas que inundam o ‘feicebuk’. Uma verdadeira demostração de que foste um grande Coach nessa cena de como colocar os tomates no lugar.

Feliz são os gajos de NKOBE que ainda o tem como ‘herói vivo’ e devem estarem a raxar maningue “As ‘grandas’ descobertas do papá Guebuza”. Traidores são os gajos de GAZA, não nos podiam ter revelado que em 2021 íamos perder o tomateiro? É “Intrigante”, mas é o país, e “Este Pais anda bêbado demais”.

Maitololo pha, não podia ter acrescentado uns tomates no lugar do furúnculo e aguentasse só mais um pouco para que visse e escrevesse os futuros movimentos do Eme-Dê-Eme com a partida do galo macho na capoeira? Um “Quando o Eme-Dê-Eme ‘bebia’ da posse”, “Celebrar Simango aos prantos”, “O EME-DÊ-EME de Hoje:…”, são cenas que eu esperava ler.

Mestre, sempre pediste “Co’licença”, mal sabíamos que ao texto sobre os tomates do Ti Martins seria o seu último cultivo na busca por uma sociedade de gajos com tomates no lugar e não “cabeça de repolho”.

Juma Aiuba, o que dizer? O Tê-Pê-Cê que nos deixa é big, são vários hectares por analisar antes de colocar os tomates no lugar, espero conseguir fazer para não te gazetar aí no paraíso. Exaltemos a viagem do Juma ao paraíso.

-Hita’vonana!

Facebook Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *