As estórias do samurai Yasuke na voz do Jay Arghh

As estórias do samurai Yasuke na voz do Jay Arghh

- in Música, Opinião

O rapper moçambicano Jay Arghh lançou no mês de Setembro, o seu segundo projecto musical intitulado “Yasuke”, composto por 08 faixas.

Yasuke é o nome  do primeiro e único samurai africano (nacionalidade moçambicana e macua), sendo o projecto musical uma possível reconstrução da história do samurai quando pouco se sabe sobre o mesmo.

Ser um samurai, não é para qualquer indivíduo, sendo ou não japonês, ao que Yasuke possa ter alinhado acreditando que terá chances de melhorar a sua vida e dar um Boa life a sua mulher, mas nem tudo é um mar de lótus, os obstáculos são tantos que o levam a desacreditar que a esposa poderá suportar, primeiro devido a distancia e depois o facto da boa vida não mais chegar, e reconhecendo as dificuldades, pede para que a esposa considere o esforço e não veja a distancia como uma possível porta para traições, há aqui um apelo para Diminuir a preocupação e o nível de ciúmes, pois continua sendo a escolhida e aquela que lhe aparece de olhos fechados e abertos, destacando de um jeito Suave que ela precisa de alguém que possa lhe amar e não alguém que só pague as contas.

Entre as cartas estão os relatos do hustle, onde Jay Arghh canta os sucessos do Yasuke, onde ainda que fosse o único africano no meio de “asiáticos”, esteve firme e sempre teve do seu lado amigos que Soy loucos, sem contar com a sua altura de 1,82 metros, padrão muito maior do que os japoneses daquela época que mediam aproximadamente 1,52 metros e sua força e condições físicas que eram equivalente a de 10 homens, e é nessas circunstâncias que a única coisa que se podia dizer é que o macua não presta, dominando “todas” batalhas restando apenas celebrar e Levar das boas coisas que a vida possa proporcionar, numa frequência de 344 M S.

A CRÍTICA

Em “Yasuke” não se sente de igual modo as habilidades do Jay Argh que no “Lótus” (primeiro projecto musical), há sim uma enorme evolução, mas pouco explorada, limitando-se no que pode ser visto como demonstração e carimbo de um flow único. O mais claro é a intimidação do Jay Arghh aos novatos, exigindo respeito e posicionando-se como um nome a citar no Rap, ao que diz na faixa “Tamalevar”: “Putos! Ahm??? Não é ahm, é tio”.

É mais um projecto de um dos primos (Sameblood Studio) saindo sem a assinatura, na produção, do primo Ell Puto, após o R&B Nanye Vol.2 do Hernâni da Silva, no entanto, não faltaram as vozes de ouro do agrupamento, caso do Lay Lizzy, Hot Blaze, Hernâni da Silva e a Carmen Chaquice que pouco a pouco está mostrando que dentro em breve terá o respeito que merece igual ao Mark Exodus, voz aqui presente, e esteve na masterização o Dj Bavy.

E sobre as vozes, há quem diga que faltou a Yeda, voz que tocou corações em Lótus através da faixa “Vício” e “Outra Mulher”.

Yasuke é a segunda reconstrução de uma história por parte do rapper, a primeira foi a do Carlitos, um traficante de Malhazine.

Facebook Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *