“Uma Lição Aos Apresentadores Moçambicanos”- Por José Xpião

“Uma Lição Aos Apresentadores Moçambicanos”- Por José Xpião

- in Opinião, Televisão
0

Assístir/escutar cheirinho não existe!

Está na moda entre os apresentadores moçambicanos tanto os que fazem rádio assim como aqueles que apresentam na televisão, a má colocação de determinados termos. Alguns porque não sabem a função nem o significado de certas palavras, outros são movidos pela força de expressão ou algum adágio popular.

É normal um apresentador na televisão dizer: “vamos ver um cheirinho do vídeo J” enquanto isso na rádio há quem diz “vamos escutar um cheirinho da música C”.

As palavras que estão sublinhadas (ver e escutar) remetem-nos a uma significação de assístir alguma coisa e ouvir, pelo que na primeira situação devemos recorrer a visão (olhos) na segunda, audição (ouvidos).

Para cheirinho, é preciso usar o olfato (fonte nasal) o que não é possível a partir do nariz ouvir nem ver nada, e sim sentir, outro erro grave nessa história toda é a mensuração do tal cheiro, sinceramente contar algo invisível, tomem alguma posição.

Certamente que alguém vai dizer que são figuras de estilo, mas não vou dar créditos porque os que empregam estes termos nem sabem que recursos estilísticos estão patentes, logo, usam de forma natural sem intenção de embelezar.

Celso Cunha chama-nos atenção:

” […] Há diferença entre liguagem cotidiana e literária, por isso é que devemos tomar cuidado ao empregar certos termos nas nossas conversas do dia a dia para evitar constrangimentos […]”

É aceitável e faz sentido nos textos literários explanar “vamos escutar ou ver um cheirinho”, porém no dia a dia não, perde sentido.
São vários exageros que presenciamos todos os dias na nossa media, “beijinho grande, abração grande, muitas das vezes, morreram 3 pessoas e um criminoso”, só para citar algumas expressões.

A media tem várias funções, uma delas é educar a sociedade, um Apresentador deve cultivar-se, fazer viagens pela leitura, assístir programas que há aulas/dicas de algumas técnicas de comunicação e expressão. Lembro-me, uma vez que Doutor Calane da Silva alertou a um grupo de jovens apresentadores na TV em directo:
“É muitas vezes e não muitas nem muita das vezes”

Calane fez duas vezes esse reparo no mesmo dia para mesmas pessoas em directo.

Relactivamente ao cheirinho, Puto Aires já acordou, aliás, há uma vez que abordou a cerca:
“A pessoa que começou com isso está a induzir-nos ao erro, ver cheirinho, hum, ver cheirinho, cheirinho na TV, kkkk, não”.

Nenhum Apresentador deve ignorar a leitura senão vira ignorante!

Hoje é dia 20 logo numa sexta-feira, para alguns haverá salário, então, antes de gastar tako com prazer melhor ocupar-se com necessidades!

Matabicho/Café da manhã/Pequeno almoço de hoje:
Chá de kakana; mandioca frita; salada de amarantus (tseke); sapo estufado e molho de tomate.

Facebook Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may also like

Carta Aberta Para MC Roger: “Falta de Comparência No Programa Alta Tensão da TVM”

Por José Carlos Maria Xpião Antes de rabiscar