Lançada a 5ª edição do Vodacom Turma Tudo Bom

Lançada a 5ª edição do Vodacom Turma Tudo Bom

- in Geral, Televisão
0

Foi lançada na Quarta-Feira do dia 31, a 5ª edição do concurso Vodacom Turma Tudo Bom, um das maiores competições de descoberta de talentos no país. A cerimónia que teve lugar no auditório municipal da Matola foi testemunhada por centenas de pessoas entre organizadores, parceiros, alunos e interessados.

Turma Tudo Bom 2016

A música, dança e muita alegria marcaram o momento, claro, devia-se antever aquilo que as galas vão propiciar aos alunos desde à altura dos castings, nas primeiras fases, até as grandes galas, já a nível nacional.

Sublinhe-se que a fase final vai decorre, pela primeira vez, na capital da província de Maputo, Cidade da Matola.

Na ocasião, Vítor Menetiane – representante da Vodacom – disse que a iniciativa visa explorar os talentos dos alunos. “Cada um de vocês é capaz de mover montanhas, o que as nossas equipas vão fazer nos próximos dias é de escalar cidade à cidade, província à província, na descoberta desse talento e conhecimento”, partilhou ao longo do seu discurso.

Jeremias Langa, Administrador de Conteúdos do Grupo Soico destacou que o desafio passa por expandir ainda mais a iniciativa. “Com este concurso, a Soico pretende contribuir na formação de um homem novo e nada melhor que este”.

Coube a Manuel Rego, Secretário Permanente do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, fazer a abertura oficial do concurso. Rego primeiro agradeceu pela iniciativa, sobretudo àqueles que tornam possível este evento. Dessa forma, continua, contribui-se para melhorar o ambiente de aprendizagem nas escolas.

Neste certame, os alunos (e as escolas) são desafiados, mais uma vez, a testar seu conhecimento sobre História, Geografia, Línguas, Literatura Moçambicana; bem como questões relacionadas com as disciplinas de Matemática e Física, através das Olimpíadas Académicas. No Canto e Dança são desafiados a mostrar o seu talento valorizando o nosso rico património cultural e não só.

Manuel Rego, antes de terminar o seu discurso, convida as escolas a participarem nesta disputa tendo como armas a inteligência, a criatividade, a imaginação, a disciplina mental e o trabalho duro e árduo, valorizando a competência e o saber, promovendo a civilidade e avanço cultural do nosso povo.

O País

Facebook Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may also like

Cambezo – Utumbe: Uma escuta de esperança

Por: Euroflin Guirengane Uma das melhores músicas afro