Filmes moçambicanos que valem a pena assistir

Filmes moçambicanos que valem a pena assistir

- in Geral, Top
1

O cinema tem vindo a desenvolver significadamente nos últimos tempos em Moçambique, em termos de qualidade de imagem e do conteúdo dos próprios filmes, embora o público não adira em massa.

Mergulhando no mundo de cinema, o Moz Entretenimento decidiu fazer uma lista de alguns filmes moçambicanos que sem dúvidas valem a pena assistir, veja.

O Jardim de outro homem

filmes-mocambicanos-o-jardim-de-outro-homem

Retrata o quotidiano de uma jovem estudante que enfrenta dificuldades de vária ordem para realizar o seu maior sonho: tornar-se médica. Na obra, Sol de Carvalho também denuncia os malefícios do HIV/Sida na sociedade moçambicana.

Virgem Margarida

cinema-mocambicana-virgem-margarida

Estreado em Novembro de 2013, narra o drama de uma adolescente moçambicana de 16 anos, Margarida, que, após a independência, em 1975, é enviada, por engano, para um campo de reeducação de prostitutas, no Niassa, no norte de Moçambique. O filme, co-produzido por Moçambique, Portugal, França e Angola, já tinha sido premiado no Festival Internacional de Cinema de Toronto.

Cabra Cega

filmes-mocambicanos-cabra-cega

Cabra Cega é um filme educacional de curta-metragem, produzido pela Mahla Filmes. Participou do Festival de Brasília, Recebeu cinco Candangos de Ouro nas categorias de Melhor Filme – Júri Popular, Melhor Diretor, Melhor Ator, Melhor Roteiro e Melhor Direção de Arte. Recebeu o Prêmio Especial pela Pesquisa Historial Festival de Campo Grande Recebeu o prêmio de Melhor Filme.

O Grande Bazar

filmes-mocambicanos-o-grande-bazar

Conta a história de dois meninos com experiências e objectivos diferentes que encontram-se num velho mercado africano. Um deles procura trabalho para readquirir o que lhe foi roubado e poder voltar a casa; o outro não olha a meios e chega mesmo a roubar para não ter que viver com a família. Apesar destas diferenças, eles tornam-se amigos e juntos reinventam o mundo.

Xikwembo

filmes-mocambicanos-xikwembo

Esta é uma obra de longa-metragem que retrata uma ficção sobre curandeirismos e rituais com espíritos. Este filme foi produzido numa das línguas locais do sul do país, Changana.

Hóspedes da Noite

filmes-mocxambicano-hospedes-da-noite

É um documentário sobre o Grande Hotel, na cidade da Beira, em Sofala. Esta infra-estrutura era um grande e luxuoso hotel – o maior existente no país – na era colonial, com 350 quartos, suites luxuosas, piscina olímpica. Mas, agora o prédio está em ruínas, sem electricidade e sem água canalizada, e é habitado por 3500 pessoas em condições precárias. Alguns vivem lá há mais 20 anos. Os quartos, os corredores, as cozinhas, e até as arcas frigoríficas e as casas de banho, servem de casa.

O último voo do Flamingo

filmes-mocambicanos-o-ultimo-voo-do-flamingo

É uma ficção, baseada no livro de mesmo nome do escritor moçambicano Mia Couto, mostra o contraste entre cultura local e internacionalização em Moçambique.

Dina

filmes-mocambicanos-dina

Conta a história de uma adolescente que fica grávida aos 14 anos e também a problemática da violência domestica contra a mulher. Foi produzido para a organização não-governamental N’wety.

Esta obra, venceu mais de 6 prémios internacionais a exemplo do premio da melhor curta-metragem nos festivais internacionais de cinema da Nigéria (AMAA), Burundi (FEST),Camarões (Écrans Noirs), Festival Lusófono e Francófono de Montpellier, França, entre outros.

Ao Pestinhas e o Ladrao dos Brinquedos

ao-pestinhas-e-o-ladrao-dos-brinquedos

Estreou no Festival de Curta metragem, KUGOMA, nos meados de 2013. Já foi exibido em Portugal, Itália, Nigéria, Quénia entre outros países. No ano de 2014, foi nomeado para categoria de Melhor Animação 2014 na Competição internacional AMAA Awards (Africa Academy Movie Awards).

Comboio de Sal e Açúcar

filmes-mocambicanos-comboio-de-sal-e-acucar

A longa-metragem de 90 minutos que tem como principal elenco os moçambicanos António Nipita, Sabina Fonseca e Melanie Rafael, o angolano Matamba Joaquim e o brasileiro Tiago Justino conta a história de centenas de moçambicanos que viajavam de Nampula a Malawi para trocar sal por açúcar. É um retrato dramático dos episódios da guerra civil que inclui também uma história de amor.

“Comboio de Sal e Açúcar” é baseado no livro homónimo que Licínio Azevedo escreveu há mais 15 anos.

Facebook Comments

1 Comment

  1. Pingback: Filme “Comboio de sal e açúcar” considerado o melhor de África no festival de cinema - Moz Entretenimento

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may also like

Assista o filme “Zona Quente” feito por jovens residentes de Chokwé – Gaza

Já encontra-se disponível no Youtube o filme “Zona Quente”,