A importância da música em tempos de confinamento

A importância da música em tempos de confinamento

- in Opinião

A discussão sobre o papel da música na vida do ser humano não é uma conversa recente. Há séculos que várias individualidades ligadas ao desenvolvimento do pensamento “unânime” ou consciente debatem a importância da música.

Essa discussão, que remonta desde os tempos da cassete e disco de vinil ou mesmo antes, levou a questões como: E se a música não existisse, o ser humano estaria nesse planeta? Uma das perguntas mais emblemáticas quando se trata de um encontro profundo com uma das mais belas criações que a humanidade dispõe, a música. Há muito que a questão é feita, numa viagem da vida sem a combinação de ritmo, harmonia, melodia e de uma forma ampla, da vida sem a música.

A definição da música é em si uma contestação, mas pode-se concordar o quão é importante nas nossas vidas, pior nos dias que correm em que a mesma não só pode ser encontrada na discoteca/casas de pastos, na sala da casa, como também vive nos nossos bolsos através da evolução tecnológica. Ela acompanha-nos nas lutas diárias pela vida servindo de ponte para que a esperança sempre esteja presente, não importa o estilo, do mais calmo ao mais agressivo, para o apreciador as energias sempre serão reforçadas quando o “play” é colocado.

No actual cenário em que somos convidados a ficar confinados na luta contra a pandemia do novo Coronavírus, do mesmo jeito que se questiona sobre a relevância da música na vida dos seres humanos, surge a necessidade de compreender a importância que a mesma possa carregar actualmente (Quarentena) numa reformulação da questão anterior na seguinte: o que seria da quarentena sem a música?

Nessa aventura, talvez seja certo destacar a frase do filósofo, Friedrich Nietzsche, onde afirma que “sem música a vida seria um erro”, ao que podemos também reafirmar que a quarentena sem a música seria um erro. Em explicação, um dos considerados emblemáticos​ críticos culturais, mostra-nos que na verdade se a música não existisse, teríamos sim a vida, mas no entanto seria uma vida sem pés e nem a cabeça, estaríamos a viver sem compreender a finalidade dessa mesma “vivência”. É a música, com base nesse pensamento, o único sentido da vida, desde os batimentos cardíacos, a junção de voz ao som, as ondas do mar, pássaros quando em conjunto soltam no ar a calma que precisamos.

A música marca momentos, do mesmo jeito que marcará a nossa quarentena e teremos no final a música que nos ajudou a viver a quarentena, nos incentiva a não ficarmos parados e até mesmo nos auxiliando a expressar sentimentos. Significado que continua fixo e imóvel na actual crise que o mundo enfrenta, o surto do novo Coronavírus, nela a vida, ainda que confinada, ganha mais sentidos, é que nela lembramos ou acreditamos que tudo voltará a ser como antes, não importa o tempo que isto possa durar. Na música encontramos o conforto necessário para reforçar as esperanças e energias para que no final possamos dar o grito de liberdade que transformar-se-á em música.

É essa a importância que a música carrega em tempos de confinamento, tornar a vida mais alegre, mostrando que tudo vai ficar bem e talvez não falta muito, ao que sem ela a quarentena seria um filme de terror sem som.

Facebook Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *